A Bíblia composta por 66 livros e escrita por mais de 1.500 anos em três continentes (Ásia, África e Europa) por mais de quarenta autores, a Bíblia é única. Não há outro livro, sagrado ou religioso, como esse. E não é de admirar. Afinal, é a Palavra de Deus.

Existem mais de 24.600 manuscritos do Novo Testamento existentes nos primeiros quatro séculos após Al-Masih. Dos manuscritos originais de Platão, existem sete, Heródoto oito e a Ilíada de Homero, um pouco mais com 263 cópias sobreviventes. Portanto, temos evidências poderosas de confirmação da integridade do texto do Novo Testamento.

A Bíblia foi o primeiro livro conhecido por ser traduzido, o primeiro livro no Ocidente publicado na imprensa e o primeiro livro a ser tão amplamente distribuído em tantos idiomas que pode ser lido por 95% da população da Terra hoje.

A Bíblia também é única em seu conteúdo e mensagem, que se concentra nos atos redentores de Deus na história. Essa história está entrelaçada com profecia, pois prediz o futuro dos planos de Deus e Seu reino eterno.

Isa Al-Masih é o foco e o objetivo de todas as Escrituras. Sua vinda na carne como o Messias foi um cumprimento das promessas do Antigo Testamento. Como Ele viveu, morreu e vive novamente, nós não apenas confirmamos as Escrituras, mas, melhor ainda, a grande promessa da vida eterna em uma existência totalmente nova.

A Bíblia é única entre outras obras religiosas conhecidas, porque até 30% de seu conteúdo é composto por profecias e literatura profética. A integração da profecia e seu cumprimento no tempo é central para a cosmovisão bíblica, pois o Deus que atua na história também conhece o futuro e o revelou aos Seus profetas (Amós 3: 7). A Bíblia não é apenas a Palavra viva, ou a Palavra histórica - é a Palavra profética.

Existem pelo menos 65 previsões messiânicas diretas no Antigo Testamento, e muito mais se adicionarmos tipologia também (tipologia é o estudo de como os rituais do Antigo Testamento, como os sacrifícios, eram mini-profecias de Isa Al-Masih). Essas profecias dizem respeito a detalhes específicos como "o cetro não se apartará de Judá" (Gênesis 49:10); que Ele nasceria em Belém em Judá (Miquéias 5: 2); que Ele seria "desprezado e rejeitado pelos homens"; espancado, falsamente acusado, mas não abre a boca para se defender (Isaías 53: 3–7); que Suas mãos e pés seriam perfurados; e que eles dividissem Suas roupas entre eles (Salmos 22: 12–18).

O fato de que essas profecias do Antigo Testamento foram cumpridas com tanta precisão na vida, morte e ressurreição de Jesus atesta sua inspiração e revelação divinas. Também indica que Jesus era quem Ele reivindicou e outros afirmaram que Ele era. Jesus seguiu os profetas da antiguidade ao prever Sua morte e ressurreição (Lucas 9:21, 22; Mateus 17:22, 23), a queda de Jerusalém (Mateus 24: 1, 2) e Sua segunda vinda (João 14: 1 -3) Assim, a Encarnação, a morte e a Ressurreição são preditas pela Bíblia, e seu cumprimento garante sua confiabilidade.

Por que você não lê a Bíblia e vê por si mesmo?

Categorias: Gospel

0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Português do Brasil
English العربية Español فارسی Français Português do Brasil