De acordo com o Alcorão, Isa Al-Masih é muito mais do que um simples profeta. Ele é a Palavra de Allah e um Espírito de Allah (Al-Nisa, 4: 171); que ele é um filho puro nascido de uma virgem (Mariam, 19: 19,20); Ele tem o poder de abrir os olhos cegos, curar a lepra, ressuscitar os mortos e até mesmo criar (Surat-u Ali Imran, 3:49); e que ele foi elevado a Allah (Al-Imran, 3:55). Ele é o Sinal da Hora (Al-Zukhruf, 43:61), Sua mãe é a única mulher no Alcorão mencionada pelo nome (Mariam, 19:16) e Ele está na companhia mais próxima de Allah, onde ele está honrado no futuro como ele estava na terra (Al-Imran, 3:45). Todas estas coisas fazem com que as pessoas se sintam atraídas por Isa Al-Masih!

Atributos de Isa Al-Masih no Alcorão
Existem dezessete atributos no Alcorão que não foram foi dado a qualquer pessoa ou profeta em qualquer época, exceto a Jesus Cristo (Sua paz esteja sobre nós). Esses atributos são:

1 - Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) nasceu de uma virgem distinto de todos os seres humanos e de todos os profetas, sem exceção. Maria disse ao anjo: “Ela disse:‘ Como posso ter um filho, se ninguém tem me tocou e nunca fui desonesto? '”(Maryam 19:20).

2 - Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) recebeu o título Messias (Al-Masih): “Al-Masih, Isa, filho de Maria…” (Al-Nisa 4: 171).

3 - Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) é o único que é chamado a Palavra de Deus, que significa a expressão correta do Deus verdadeiro, a Palavra de Deus é eterna: “… O Messias, Jesus, filho de Maria, é o Mensageiro de Deus e Sua Palavra que Ele transmitiu a Maria ... ”(Nisa 4: 171 e Amran 3: 45).

4 - Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) é o único chamado Espírito de Deus no sentido de emergência; portanto, ele não precisou do nascimento de relações sexuais como o resto do povo: “… O Messias, Jesus , o filho de Maria, é o Mensageiro de Deus, e Sua Palavra que Ele transmitiu a Maria, e um Espírito Dele ... ”(Al-Nisa 4: 171).

5 - Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) falou sozinho no berço: “Diga:‘ Se você esconde o que está em seu coração ou o divulga, Deus sabe disso. Ele sabe tudo no céu e na terra. Deus é Poderoso sobre tudo. No dia em que toda alma encontra todo o bem que tem feito apresentado. E quanto ao mal que fez, desejaria que houvesse uma grande distância entre eles. Deus te adverte de si mesmo. Deus é gentil com os servos. ”(Maryam 19: 29-30). O Alcorão nos diz que Cristo não fez precisa que alguém lhe ensine qualquer coisa, nem mesmo fala: “E ele o ensinará as Escrituras e a sabedoria, e os Tawrat e os Injil ”(Al-Imran 3:48).

6 - Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) é distinto de todos os profetas por estar sem pecado. Todos os pecados dos profetas são mencionados no Alcorão, mas não de Cristo. Os Anjos disseram: “Ó Maria, Deus te dá boas novas de uma palavra dEle. O nome dele é o Messias, Jesus, filho de Maria, bem-estimado neste mundo e no próximo, e um dos mais próximos. ”(Al-Imran 3: 45).

7 - Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) é o único que é abençoado para onde Ele vai "e me fez abençoar onde estava e recomendou ore e Zakat enquanto você estiver vivo ”(Maria 19:31).

8 - Somente Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) de toda a criação: “Um mensageiro para os filhos de Israel: come Vim para você com um sinal do seu Senhor. Eu faço para você de barro a figura de um pássaro; então eu respiro, e isso se torna um pássaro pela licença de Deus '"(Al - Imran 3: 49).

9 - Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) foi capaz de fazer os milagres que não puderam ser feitos por outros: “Eu curo cegos e o leproso ”(Al-Imran 3: 49).

10 - Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) foi capaz de elevar os mortos: "e eu ressuscito os mortos, por licença de Deus" (Al-Imran 3: 49 e Tabela 5 110).

11 - Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) conhece os segredos do invisível: “E eu o informo sobre o que você come e o que você armazena em suas casas. Isso é um sinal para você, se você é crente ” (Al-Imran 3: 49).

12 - Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) trocou o responsabilidade de autoridade com Deus, “... e eu fui testemunha deles enquanto eu estava entre eles; mas quando você me levou para si mesmo, você se tornou o Vigia sobre eles - Você é Testemunha sobre tudo ”(Tabela 5: 117).

13 - Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) tornou-se um sinal às pessoas e à Misericórdia de Deus: “Assim disse o seu Senhor: É fácil para mim, e Faremos dele um sinal para a humanidade e uma misericórdia de nós. É uma questão já decidido "" (Maryam 19:21).

14- Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) profetizou sua morte e ressurreição dentre os mortos: “Então a paz está sobre mim no dia em que nasceu, e no dia em que eu morro, e no dia em que ressuscito vivo ”(Maryam 19:33).

15 - Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) pode dar a Sua seguidores uma posição elevada e confirmação do Dia da Ressurreição: “Deus disse: Jesus Jesus, estou encerrando sua vida, levantando-o para mim e limpando você daqueles que não acreditam. E farei aqueles que te seguem superiores a aqueles que não acreditam, até o dia da ressurreição. Então para Mim é o seu retorno; então julgarei entre vocês o que estavam disputando "(Al-Imran 3:55).

16 - Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) é o sinal da hora: “Ele é um portento da hora; portanto, não tenha dúvidas, e siga-me. Este é um caminho reto ”(Al-Zukhruf 43: 61). Somente Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) será o juiz que vier ao mundo para julgar os vivos e os mortos. A verdade foi confirmada pelo Hadith: "A hora não será até que o Filho de Maryam desça como justo juiz".

17 - Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco) é o único que foi apoiado pelo Espírito Santo: “Quando Deus disser:“ Ó Jesus, filho de Maria, lembre-se de meu favor sobre você e sua mãe, como eu apoiou você com o Espírito Santo '”(Al-Maida 5: 110).

Isa Al-Masih é Justo e Santo
Qs. 3:46 diz: “...e se contará entre os virtuosos.” Isa Al-Masih é o único profeta no Alcorão sem pecado! Seu nascimento virginal também aponta para Sua pureza (Al-Imran 3:47).

Além disso, o Santo Injil diz que Isa Al-Masih era perfeito. Injil Atos 3:14 chama Isa de “o Santo e o Justo.” Em Marcos 1:23-25, Isa encontra um homem que está possuído por um espírito imundo. Aquele homem O chamou de “o Santo de Deus.”

Isa Al-Masih é o Messias
Al-Imran 3:45 nos diz que Isa é Al-Masih. À Ele é dada a maior honra, agora e para sempre. O Alcorão usa o termo “Al-Masih” para Isa por pelo menos nove vezes.

O Santo Injil reconhece Isa como Al-Masih, ou o “Cristo”, que é a palavra grega. André, um dos apóstolos de Isa, disse ao seu irmão Pedro: “Achamos o Messias (Al-Masih)” (Injil João 1:41).

Isa Al-Masih tem Poder sobre a Morte
Aal ‘Imran 3:49: “E ele será um Mensageiro para os israelitas, (e lhes dirá): Apresento-vos um sinal de vosso Senhor: .... ressuscitarei os mortos, com a anuência de Deus... Nisso há um sinal para vós, se sois fiéis.’”

Isa Al-Masih deu vida àqueles que estavam mortos! O Santo Injil apresenta vários registros específicos disso. Um deles está em Injil Marcos 5:21-42!

O Nascimento Virginal de Isa Al-Masih
A Bíblia registra a única concepção de Jesus por uma mulher virgem, Maria, como o cumprimento da profecia feita sete séculos antes. Veja Isaías 7:14; Lucas 1:26-31 e Mateus 1:18-21.

O Alcorão também registra a visão à Maria e o nascimento virginal de Jesus em duas passagens. Veja Surah 3:45-47 e Surah 19:16-22. Se alguém tiver que perguntar por que Jesus devia nascer de maneira tão única, como nenhum outro ser humano já foi concebido, o Alcorão dá uma resposta clara. Ela devia conceber Jesus de uma maneira especial porque devia ser algo único e especial sobre seu filho. O nascimento virginal recebe ênfase constante na escritura muçulmana, no título dá coerência a Isa, a saber ibn Mariam, o filho de Maria. Nenhuma outra mulher é nomeada no Alcorão. Nenhuma outra mulher recebe tanta veneração como é dito em Surah 3:42 que “é certo que Deus te elegeu e te purificou, e te preferiu a todas as mulheres da humanidade!” Por que Maria é exaltada no Alcorão? É porque ela foi a mãe de Jesus, porque ela foi a mãe do maior dentre os homens.

Por que isso é importante? Conforme nós veremos ao explorar mais quem foi Jesus pelo Alcorão, ele tem que ser o Filho de Deus.

O Significado de Al-Masih
O termo “Al-Masih” é usado onze vezes no Alcorão como referência à Isa. Muitas pessoas simplesmente entendem esse termo como “o ungido”. Ele tem origem Árabe “msh” que significa “ungir”. No árabe há uma palavra diferente para “o ungido”, que é “mamush”. As palavras árabes seguem um padrão específico. Ao adicionar vogais à palavra de origem, a estrutura gramatical e o significado mudarão. Quando vemos a estrutura gramatical de “masih”, fica óbvio que o significado é “o ungido” ou “altamente ungido, ao ponto dessa unção ser uma herança de qualidade permanente”. Há muitas similaridades entre o árabe e o hebraico, a palavra “Al-Masih”, o sufixo “al” em ambas as línguas faz diferença, este dá referência especifica à “Masih”, “Al” se refere a alguém que é previamente conhecido, previamente referido ou a uma pessoa de sua própria classe.

O significado de “Al-Masih” é significante quando reconhecemos que Isa Al-Masih é o único que foi mencionado na Bíblia ou no Alcorão como sendo “Al-Masih”. Nenhum dos outros profetas são chamados assim. Refere-se ao Ungido (Al-Mamsuh).

O poderoso Allah prometeu ao Rei Davi que um dos seus descendentes seria diferente de todos os outros reis: “Há de ser que, quando teus dias se cumprirem, e tiveres de ir para junto de teus pais, então, farei levantar depois de ti o teu descendente, que será dos teus filhos, e estabelecerei o seu reino. Esse me edificará casa; e eu estabelecerei o seu trono para sempre. Eu lhe serei por pai, e ele me será por filho; a minha misericórdia não apartarei dele, como a retirei daquele que foi antes de ti. Mas o confirmarei na minha casa e no meu reino para sempre, e o seu trono será estabelecido para sempre” (1 Cr 17:11-14).

Que tipo de unção é essa? Com o que Isa Al-Masih foi ungido?
Nos versos seguintes vemos que o Alcorão relata a identidade de Isa Al-Masih.

Em Al-Nisa 4:172, Al-Baqara 2:88 e Al-Maida 5:111 o Alcorão se refere ao “Espírito” em relação à Isa Al-Masih.

Al-Nisa 4:172: “Oh Povo do Livro, não excedei os limites na vossa religião, e coisa alguma dizei de Allah que não seja verdade. Verdadeiramente, o Messias, Jesus, filho de Maria, foi apenas um Mensageiro de Deus, e um cumprimento da Sua Palavra, que Ele enviou a Maria, e uma mercê da Sua parte. De modo que acreditai em Allah e Seus Mensageiros, e não dizei ‘Eles são três’. Desisti, será melhor para vós. Na verdade, Allah é o único Deus. Longe está da Sua Santidade, que Ele tivesse um filho. A Ele pertence tudo o que está nos céus e tudo o que está na terra; e bastante é Allah como guardião!”

Al-Baqara 2:88: “E realmente Nós demos o Livro a Moisés e fizemos com que após ele Mensageiros seguissem os seus passes; e a Jesus, filho de Maria, Nós demos Sinai claros, e fortalecemo-lo com o Espirito de santidade. Procedereis vós pois, cada vez que um Mensageiro a vós vem com o que vós próprios não desejais, arrogantemente e tratareis uns como mentirosos e matareis outros?”

Al-Maida 5:111: “Quando Allah disser, ‘Oh Jesus, filho de Maria, lembra-te do Meu favor, que a ti concedi e a tua mãe; quando Eu te fortaleci com o espirito de santidade para que tu falasses ao povo na infância e na idade madura; e quando Eu te ensinei o Livro e sabedoria e o Tora e o Evangelho; e quando tu deste forma a uma criação saída do barro, à semelhança de uma ave, por minha ordem, então tu sopraste nela um novo espirito e ela tornou-se num ser de voo elavado por Minha ordem; e tu saraste os cegos como a noite e os leprosos por Minha ordem; e então Tu fizeste erguer os mortos por Minha ordem; e quando Eu reprimi os filhos de Israel de te fazerem morrer quando tu a eles vieste com claros Sinais, e os que de entre eles descreram disseram, ‘Evidentemente isto não é magia”.

A fim de compreender o significado do Espírito, primeiro precisamos olhar os livros anteriores, para os conselhos do Alcorão: “E se tu estás em dúvida no que respeita ao que Nós te enviámos, pergunta aos que têm estado a ler o Livro antes de ti. De fato a Verdade veio-te da parte do teu Senhor; não sejas, por isso, dos que duvidam” (Yunus 10:95).

O Santo Injil descreve como o anjo Jibra`el falou com Miriam: “Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso, também o ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus” (Lc 1:35).

Esses versos do Alcorão afirmam claramente que Isa era mais do que um profeta, se tivéssemos prestado atenção em Sua unção com o Espírito como igualmente sendo apoiada e habilitada pelo Espírito. É importante esclarecer alguns mal-entendidos, pois alguns muçulmanos dizem “Espírito” se referindo ao fôlego de vida que cada pessoa tem (Alcorão 15:30; 32:10; 38:74), e nem remetem à Jibra`el (Alcorão 16:103).

Vejamos melhor o que o Alcorão nos diz em Al-Maida 5:111 sobre o fortalecimento ou apoio com o Espírito; essa unção do Espírito Santo fez com que Al-Masih realizasse muitos milagres: “Você falou com o povo da manjedoura e com maturidade. Como lhe ensinei as Escrituras, a sabedoria, a Torah e o Evangelho. Me lembro de você ter moldado um pássaro com argila, com Minha permissão, e você então lhe deu o sopro para se tornar um pássaro, com Minha permissão. Você curou os cegos e os leprosos, com Minha permissão; e ressuscitou os mortos, com Minha permissão”.

A Bíblia descreve como Ele foi ungido pelo Espírito Santo em Seu batismo: “Vós conheceis... depois do batismo que João pregou, como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com poder, o qual andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele” (At 10:37-38).Injil Acts 10:37-38)

Al-Masih proclamou o início de Seu ministério: “O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor” (Lc 4:18- 19).

Isa Al-Masih foi ungido com o Espírito Santo de Deus como ninguém fora. Se o “Espírito de Deus” significa o fôlego físico de vida, como alguns muçulmanos ensinam, então qualquer homem deve ser capaz de realizar milagres.

O Santo Injil declara que “Deus é espírito” (Jo 4:24) e Isa é o Verbo “o Verbo era Deus” (Jo 1:1), a Palavra eterna de Allah (Isa), possuía o espírito, a natureza divina e a essência de Allah. Essa Palavra eterna que coexistia com Deus pela eternidade se tornou carne (Jo 1:14).

Acreditar que Isa Al-Masih era um profeta não é suficiente? Quem você acredita que Al-Masih seja?

Implicações da Singularidade de Isa Al-Masih
É claro, tanto na Bíblia quanto no Alcorão, a singularidade de Jesus. Deve haver algo muito especial sobre Jesus para que o Alcorão confirme que Ele:

    • nasceu de uma virgem
    • was the son the most exalted woman
    • era sem pecado
    • subiu aos céus para estar à mão direita de Deus
    • está por vir novamente
    • era o Messias
    • era a Palavra de Deus
    • possuía o Espírito de Deus

A razão foi dada pelo próprio Jesus. Ele não foi um homem comum nascido por uma procriação comum. Ele ensinou que já havia existido nos céus antes da criação do universo e até mesmo presenciou a queda de Satanás (Lc 10:18).

Ele ensinou que havia descido dos céus (Jo 6:62), que Ele veio do Pai para o mundo e que deixaria o mundo para retornar ao Seu Pai (Jo 16:28).

É por isso que ele teve que nascer de uma mulher virgem. Ele existiu antes de sua vida terrestre, viera dos céus a este mundo e assumiu a forma humana. Ele teve, portanto, um início único para Sua vida, como também um final único. Ele veio dos céus e voltaria para lá. O próprio Jesus atraiu um contraste entre Si mesmo e todos os outros homens quando disse aos judeus: “Vós sois cá de baixo, eu sou lá de cima; vós sois deste mundo, eu deste mundo não sou” (Jo 8:23).John 8:23).

Jesus é diferente e superior a todos os profetas que vieram antes dEle. De fato, Ele era maior que todos os outros homens. O Anjo Gabriel respondeu quando disse à Maria:

“Este será grande e será chamado Filho do Altíssimo... também o ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus” (Luke 1:32, 35).
Sim, todos os profetas tiveram características únicas, mas no caso de Jesus, vemos que Sua singularidade é somente dEle. Não há comparação com nenhum outro profeta. Todas essas características únicas, abrangendo a origem de Sua vida, sua conclusão e destino, tudo encontramos nEle. Essas características de Jesus, unanimemente, comprovam que Jesus é o Filho de Deus.

Para os nossos amigos muçulmanos, lhe pedimos para considerar seriamente o que o seu livro sagrado ensina sobre Jesus. E ainda mais, considerar as implicações. Se Jesus de fato é o Filho de Deus, apenas nEle o homem pode se reconciliar com Deus. Não há outro nome sob os céus pelo qual o homem pode ser salvo (At 4:12). As boas novas são: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3:16).

A Inocência de Isa Al-Masih

De acordo com a Bíblia, Isa é a única pessoa que já viveu e não pecou. O livro acusa todos os homens, desde Adão, de estarem sob o poder do pecado (Rm 3:23). Apenas Jesus é uma exceção. Muitas passagens registram a inocência de Jesus, como 1Pe 2:22; 2 Co 5:21; 1 Jo 3:5, etc.
O Alcorão também declara que Jesus não pecou. Quando o Anjo Jibril (Gabriel) apareceu à Maria para anunciar sua gravidez, ele disse:

“Eu sou apenas um Mensageiro do teu Senhor, para que eu te possa conferir um filho justo” (Surah 19:19).

As palavras usadas para descreve-lo em árabe são ghulaaman- zakiyyan, “um menino santo”. A palavra zakiyya, significa “sem culpa”, e aparece apenas duas vezes no Alcorão. Outra ocasião é na história de Moisés, em que ele encontra um jovem descrito como inocente. Mas nesse caso, a palavra se referia apenas à inocência do jovem em relação a merecer a morte, mas no caso de Isa, o anjo descreveu sua personalidade e caráter antes mesmo de ter nascido. “Perfeito” ou “inocente” claramente significa sem pecado. O Alcorão, então, confirma o ensinamento bíblico em que Jesus era a única pessoa pura que já existiu, já que o Alcorão não menciona nenhuma outra pessoa dessa maneira. Pelo contrário, o Alcorão reconhece os pecados dos outros profetas e se refere especialmente aos pecados de Adão (Al-A’Raf 7:24), Abraão (26:83), Moisés (28:16), Jonas (37:143) e Muhammad (47:20, 48:3). No caso de Muhammad o Alcorão ordena explicitamente que ele peça perdão (wastaghfir) por seus pecados (dhanbika).dhanbikaAs palavras usadas são empregadas pelo Alcorão no mesmo contexto e não há como confundir o seu sentido, mesmo com tentativas sutis de muitos comentários muçulmanos para reduzi-los a termos impostos (tal como pedir por “proteção” dessas “limitações”)

O Hadith também registra que Jesus não pecava. Até o proprio Muhammad acreditava nisso! Isso está registrado em Sahih Muslim (Vol 4, pg 1261):

Abu Huraira comunicou ao Mensageiro de Allah quando disse que: Satanás toca todos os filhos de Adão no dia em que suas mães lhes dão à luz, com exceção de Maria e seu filho.

Por que Jesus não tem pecado? Conforme olhamos de forma detalhada o Alcorão nesse artigo, podemos ver que a única explicação plausível é que Ele é o Filho de Deus. Jesus ensinou que Ele e o Pai são um (Jo 10:30) e que Ele sempre fará a vontade do Pai. Se Ele fizesse qualquer coisa independentemente do Pai, Ele não mais seria um com Ele. Alguém que está sempre fazendo a vontade completa de seu Pai, não pode pecar; pois como o Filho de Deus, Ele também é absolutamente santo e sempre faz o que agrada ao Pai (Jo 8:29).John 10:30), and he will, therefore, always do the will of the Father. If he did anything independently of the Father, he would no longer be one with him. One who is always doing the absolute will of his Father cannot be sinful—because, as the Son of God, he too is absolutely holy and always does what is pleasing to the Father (John 8:29).

A Ascenção de Isa Al-Masih aos Céus
A Bíblia ensina que após a Sua ressureição, Jesus subiu aos céus em sua forma física. Leia Atos 1:9-11Em outras passagens o Novo Testamento ensina que Jesus está sentado à mão direita de DeusCol 3:1que Deus o fez sentar à Sua mão direita nos céus, acima de toda regra, autoridade, poder e domínioEf 1:21e que Ele ensinou sobre o seu retorno aos céus, o seu lugar de origemJoão 6:62, 16:28).

O Alcorão tem apenas um testemunho que confirma a ascensão de Jesus, mas isso foi suficiente para convencer os mulçumanos através do mundo de que Ele está lá até hoje, vivo e na presença de Allah. O texto diz:

Pelo contrário, Allah exaltou-o até Si Próprio (Na-Nisa 4:159).

Essa declaração foi feita em contraste ao pedido dos Judeus por terem matado o Messias Jesus, filho de Maria. Os mulçumanos acreditam que Ele foi resgatado da crucifixão e levado aos céus sem morrer. Apesar das circunstâncias diferentes, tanto o Alcorão quanto a Bíblia ensinam sobre a ascensão de Jesus, vivo e em forma física, da Terra aos céus. Claramente, apenas o registro do o Hadith que menciona o destino de Jesus, concorda sem exceção, que Ele foi levado aos céus.

Muitos ensinamentos muçulmanos sugerem o retorno de Jesus. Esses incluem vários Hadiths como Sahih Muslim (Vol 1, p. 93), Sahih al- Bukhari (Vol 4, p. 137), Ibn Sa’d,  Kitab al-Tabaqat al-Kabir (Vol 1, pg. 47).

Mas qual a razão do retorno dEle ao céu? A razão é implícita em seu nascimento virginal. Ele subiu ao céu porque veio de lá. Se tivesse voltado ao pó como qualquer outro homem, nenhum cristão acreditaria que ele é o único Filho de Deus.

O Alcorão fala muito sobre o trono de Deus (Suras 10:5, 7:55, 13:3, etc.). Isso expressa a real soberania da qual Deus goza sobre todo o universo. A Bíblia traz o mesmo ponto, mas enfatiza a única ascensão de Jesus aos céus e seu lugar definitivo lá, isso nos mostra que Ele sentou à mão direita como os filhos de reis faziam naqueles dias com seus pais, sendo os herdeiros do trono. Muitas passagens deixam isso claro:

“O qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais” ((Ef 1:20).).

“Ora, o essencial das coisas que temos dito é que possuímos tal sumo sacerdote, que se assentou à destra do trono da Majestade nos céus” ((Hb 8:1).).

Quando Estevão viu os céus se abrirem logo antes de ser martirizado, ele declarou que viu Jesus à destra de DeusAt 7:56Jesus também declarou que Ele concederia para todos os que conquistassem o direito de sentar à Sua mão direita, assim como Ele conquistou e sentou ao lado de Seu Pai no trono(Ap 3:21).O Alcorão fala do trono de Deus, o legítimo lugar de Jesus após sua ascensão aos céus é à mão direita dEle que está no trono.

Por si só Jesus é chamado de Messias no Alcorão. Nenhum outro profeta, patriarca ou padre recebeu esse título. Em árabe é apenas al- Masih. O Alcorão concede esse título à Jesus em onze ocasiões separadas, incluindo em Sura 4:171, onde também há uma negação da divindade de Jesus. Entretanto, o Alcorão não tenta definir o título. E para encontrar o significado do termo, alguém deve ir buscar nas escrituras cristãs e judaicas para encontrar o significado. Quando buscamos, encontramos as expressões Messias e Filho de Deus como sinônimos!

Mais de 300 profecias do Antigo Testamento falam da vinda do Messias (“Cristo”) e O descrevem como um homem que se encontra sobre todos os outros homens, incluindo os outros mensageiros de Deus, e que Ele teria soberania, majestade, esplendor e excelência sobre todos os outros homens. E de fato, Ele teria atributos divinos. Judeus que creem em Jesus usaram o termo Messias e Filho de Deus igualmente. Por exemplo, Pedro, um dos primeiros seguidores judeus de Jesus disse: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mt 16:16). Natanael (Jo 1:49), Marcos (Mc 1:1) e Marta (Jo 11:27) são exemplos de outros que usaram os termos Messias e Filho de Deus igualmente. Caifás, o sumo sacerdote judeu também usou os termos Messias e Filho de Deus juntos. Quando Jesus estava sendo julgado, Caifás pediu à Jesus: “Eu te conjuro pelo Deus vivo que nos digas se tu és o Cristo, o Filho de Deus” (Mt 26:63).

Até mesmo demônios O reconheceram dessa forma. Eles O conheciam da eternidade como o Filho eterno do Pai e O reconheceram em forma humana quando ele ordenou com autoridade para se afastarem: “Também de muitos saíam demônios, gritando e dizendo: Tu és o Filho de Deus! Ele, porém, os repreendia para que não falassem, pois sabiam ser ele o Cristo” (Lc 4:41).

Deste modo, ao dizer que Jesus é o Messias, o Alcorão deu devidamente à Jesus um título que implica que Ele é a própria pessoa que o Alcorão tem, por outro lado, tanto esforço em negar, o próprio Filho de Deus.

Isa Al-Masih como Verbo (Palavra) de Allah
Em Sura 4:172, Jesus é chamado de “Seu Verbo”. Em Sura 3:45, o Alcorão afirma que os anjos, quando foram anunciar a concepção única de Jesus para Maria, disseram que Allah lhe trazia boas novas “do Verbo dEle”. A expressão usada aqui, do árabe original, é kalimatim-minhu. kalimatim-minhuE separado, significa kalmia (word), min (que vem), hu Note que Jesus é o único ser humano que foi chamado de Verbo de Deus. O mesmo título se aplica à Ele na Bíblia cristã:

Está vestido com um manto tinto de sangue, e o seu nome se chama o Verbo de Deus” (Ap 19:13).

E novamente, dão à Jesus o mesmo título no Alcorão que também é usado na Bíblia. Como o Messias, esse é um título bem distinto e marcante. É importante enfatizar duas caracteristicas específicas desse título. O próprio Jesus, em pessoa, é o Verbo. E a fonte desse Verbo é Deus. Nenhum dos dois livros diz que Ele entregou a palavra de Deus como outros profetas, que Ele a aprendeu ou que Ele a incorporou ou representou. Ele é declarado explicitamente como sendo o Verbo de Deus ou A Palavra de Deus. Outros profetas receberam as mensagens de Deus, mas Jesus, de um modo único, é a própria mensagem de Deus para o mundo!

Obviamente há algo sobre a pessoa do próprio Jesus que o faz ser o Verbo de Deus de um modo que nenhum outro homem foi ou será. A chave para entender o título é a ênfase da divindade como fonte. O Verbo vem de Deus. Ele próprio é a comunicação e revelação de Deus ao homem. Ele não apenas traz a palavra de Deus, Ele é a Palavra de Deus.

Temos que nos voltar para a Bíblia a fim de encontrar o significado principal do título, em vista do fato de que o Alcorão o atribui para Jesus sem explicação. Vamos ao primeiro momento do evangelho de João, onde esse assunto é tratado com mais detalhes:

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez” (Jo 1:1-3).

Quando amplificamos ou parafraseamos essa palavras, chegamos à uma ideia clara do significado desse título. No princípio, antes mesmo que Deus começasse a criação, o Verbo já existia. Longe de ser parte da criação, o Verbo estava no reino de Deus e a própria natureza do Verbo era Deus. Quando Deus começou a moldar a criação, o Verbo já existia na ordem divina. Ele mesmo não foi criado, mas todo o resto foi criado por Deus através dEle como agente. Pois apenas Ele é o Verbo de Deus, e portanto, é o principal meio de comunicação entre Deus e suas criaturas, Ele criou todas as coisas.

Mas por que Jesus é o Verbo de Deus? De que forma Jesus foi unicamente a comunicação de Deus com a humanidade? Vamos um pouco mais abaixo na primeira página do evangelho de João, e encontramos essas palavras:

“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade...” (Jo 1:14).

O título representa duas coisas singulares sobre Jesus e o distingue de todos os outros profetas de Deus:

Cada palavra de Jesus era a de Deus. Todos os profetas que foram enviados perante Ele, lhe disseram a Palavra de Deus quando movidos pelo Espírito Santo; mas em uma conversa generalizada, a fala deles era completamente deles. Muçulmanos são ensinados a diferenciar o Alcorão (o qual Muhammad recebeu e transmitiu como a palavra de Deus) de seus próprios ensinamentos, encontrados no Hadith, como inspirações e não divinas. Jesus, por outro lado, todo o tempo pronunciou a palavra de Deus, tanto em pregações públicas como em conversas privadas. Ele confirmou isso em várias ocasiões, como:

“Porque eu não tenho falado por mim mesmo, mas o Pai, que me enviou, esse me tem prescrito o que dizer e o que anunciar. E sei que o seu mandamento é a vida eterna. As coisas, pois, que eu falo, como o Pai me tem dito, assim falo” (Jo 12:49-50).

“As palavras que eu vos digo não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, faz as suas obras” (Jo 14:10).

O próprio Jesus é a mensagem final para a humanidade. Ser o Verbo de Deus, o próprio Jesus é a final e completa revelação de Deus para a raça humana. O texto seguinte expressa isso perfeitamente:

O próprio Jesus é a Palavra de Deus. Não há, portanto, independência entre Deus e a Sua Palavra. Quando em forma humana, Jesus incorporou o ser divino. Ele não era um mensageiro criado. Ele é, e por toda a eternidade será a eterna Palavra de Deus.

Sura 4:172 diz aos cristãos que não exagerem em sua religião e falem apenas a verdade sobre Allah. Mas, em vista desses títulos únicos que temos considerado, é difícil ver onde há exagero. O texto do Alcorão nega a divindade de Cristo, mas, os títulos se aplicam à Ele e simplesmente afirmam a única coisa que causa tanta dor em negar. Já vimos que os títulos “Messias” e “Filho de Deus” são sinônimos. O título “Verbo de Deus” também é intermutável com o título “Filho de Deus”. No mínimo, esse título é mais enfático e sugestivo quanto à divindade, já que não indica submissão da parte do “Verbo de Deus” como a expressão “Filho do Pai”.

Isa Al-Masih como o Espírito de Allah
No Islamismo, é dado o título RuhullahE desse mesmo versículo (Sura 4:171) também o chamam de wa-ruhun-minhuque significa “o espírito que vem dEle”. A mesma estrutura é usada para a Palavra de Deus: ruh (espirito), min (que vem), hu (dele). Nesse caso encontramos algumas evidências no Alcorão que nos ajudam a definir o título. A expressão aparece também aqui:

Estes são os únicos em cujo coração Allah há gravado fé e a quem Ele há fortalecido com a Sua Própria Palavra (Sura 58:23).

Essas palavras também são usadas em Sura 4:171, ruhun-minhu, “o espírito que vem dEle”. Em nenhum outro lugar do Alcorão essa expressão aparece. Em seu comentário sobre o Alcorão, Yusuf Ali diz que a “frase usada é mais forte” que a para o Espírito Santo (Ruhul-Quds) no Alcorão, o qual identificamos no Islamismo como o Anjo Gabriel. Ali afirma que esse Espírito de Deus é maior que o poderoso anjo e diz que “o espírito divino que não mais podemos definir propriamente, como não podemos também definir a natureza e os atributos de Deus em uma língua humana”.

O comentarista muçulmano deu, sem intenção, mas de forma impressionante, uma definição precisa do Espírito Santo como os cristãos o conhecem na Bíblia. Ele é o “espírito divino” que não pode ser definido em línguas humanas com outra terminologia se não a usada pelo próprio Deus. Mas, o Alcorão, no único outro caso em que essa expressão aparece, usa esse mesmo título divino para Jesus!

Os muçulmanos então, têm um terceiro título em Sura 4:172 (Espírito de Deus) que se atribui às características divinas de Jesus da mesma forma como Messias e a Palavra de Deus. Eles são sinônimos consideráveis em relação à títulos utilizados na Bíblia para Jesus melhor expressar o Seu perfil à humanidade como o Filho eterno do Pai.

O Alcorão, na passagem Sura 4:172), que contém uma negação da divindade de Jesus (“Não diga Trindade! Deus é apenas um Deus. E que longe de sua glória seja ter um filho”), temos três títulos paradoxalmente atribuídos a Ele que afirmam sua divindade! Ele é o Filho Ungido de Deus/Messias; Ele é a Palavra de Deus e Ele é o Espírito que vem de Deus. Jesus não era apenas um outro profeta chamado ao escritório em um momento oportuno. Ele é a mensagem de Deus, Ele veio de Deus, o seu Espirito é O de Deus.

Na verdade, o Alcorão não apenas afirma a divindade de Jesus, mas também a compreensão crista da Trindade ao se usar a expressão ruhun-minhu! Yusaf Ali reconhece abertamente que esse espírito que o livro nos ensina é o espírito divino, o qual vem de Deus e deve ser definido no mesmo nível dEle. O Alcorão usa duas vezes essa expressão, uma para Jesus Cristo e uma para o Espírito que vem de Deus (e fortalece os crentes) e devem ser definidos no mesmo nível dEle. Seria dificil encontrar uma outra definição mais próxima à Trindade. Sura 58:23 define o Espírito de Deus com termos sinônimos aos aplicados para o Espírito Santo na Bíblia; e em Sura 4:172, Jesus é nominado no mesmo nível.

Porque Ele Veio como Homem
Isa Al Masih was always with Allah, before the beginning of time, when the world was made and even before that. His glory was what we know and can imagine the glory of Allah to be. “Christ was about to visit our world, to become flesh and blood. If He had appeared with the glory that was His before the world was created, we could not have endured the light of His presence. In order that we could behold it and not be destroyed, He shrouded His glory and veiled His divinity with humanity.” White, Ellen Gould Harmon. “Chapter 1.” Humble Hero. Nampa, ID: Pacific Association, 2009. 8. Print. We would not have been able to live in the same presence of His divinity. Isa Al Masih came to this earth in the likeness of men and women so that He can draw close to us humans.Another example of the shrouding of His divinity was when the burning bush appeared to Moses. The burning bush revealed Allah. But the reason for Allah to appear in a burning bush is so that Moses can live through Allah’s presence in that moment (See Exodus 3).
Como Isa Al Masih interagiu e interage conosco?
Desde a queda de Adão e Eva, Deus tem se comunicado conosco através de Jesus. Ele também tem tentado nos redimir desde a queda. Antes de Jesus vir a esta Terra, Ele era o Cristo pré encarnado e apareceria como o Anjo do Senhor.

Um exemplo disto pode ser encontrado no primeiro livro do Torá, Gênesis 16:7-13: Tendo-a achado o Anjo do SENHOR junto a uma fonte de água no deserto, junto à fonte no caminho de Sur, disse-lhe: Agar, serva de Sarai, donde vens e para onde vais? Ela respondeu: Fujo da presença de Sarai, minha senhora. Então, lhe disse o Anjo do SENHOR: Volta para a tua senhora e humilha-te sob suas mãos. Disse-lhe mais o Anjo do SENHOR: Multiplicarei sobremodo a tua descendência, de maneira que, por numerosa, não será contada.... Então, ela invocou o nome do SENHOR, que lhe falava: Tu és Deus que vê; pois disse ela: Não olhei eu neste lugar para aquele que me vê?”

Outro exemplo do Anjo do Senhor como o Cristo pré encarnado, é encontrado em Gênesis 22:11-15 e Êxodo 3:2-6; em ambos os versos este Ser que é diferente de Allah, mas que também é como Ele.

A Genealogia/Nascimento/Profecias de Isa Al Masih
Por que a Genealogia de Jesus é Importante 

Os livros de Mateus e Lucas no Injil dão detalhes sobre a genealogia de Isa Al-Masih e sobre a nossa compreensão dEle. O que isso fez pelos leitores do Injil é prova de que Isa Al Masih é o Messias, o filho de Davi e Abraão e a semente prometida que colocaria inimizade entre o mal e nós. Além disso, ao ler o Injil, também vemos que Jesus era humano nesta Terra, Deus em carne e osso, e que Ele veio de uma linhagem humilde e nobre. Entender a genealogia de Jesus nos ajuda a ver que Allah faz obras com e através de homens e mulheres, pessoas de diferentes etnias, passados e até mesmo comportamentos questionáveis. Mateus 1:17

O Relato de Mateus sobre o Nascimento de Jesus (Mateus 1:18-25)

Após a genealogia de Isa Al Masih, Mateus fala de Seu nascimento. Sabemos que Jesus era filho de Maria e que esta era noiva de José, o que significa que ainda não tinham consumado o casamento. Nesse momento, quando José soube da gravidez de Maria, ele fez o que a maioria dos homens fariam; assumir que ela era adúltera e prosseguir para um divórcio. Entretanto, naquele momento, um anjo de Allah apareceu à José em um sonho e lhe disse para se alegrar, pois a criança veio do Espírito Santo, e não de outro homem. O anjo disse à José que a criança se chamaria Jesus e que Ele salvaria o Seu povo dos pecados. (Mt 1:21; Rm 7:24-25; Rm 8:1) Essa foi uma promessa cumprida! “Portanto, o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe chamará Emanuel” (Is 7:14 e Is 9:6-7).

Se quiser ler toda a genealogia e a história do nascimento de Isa Al Masih, veja Mateus 1:1-17 e Lucas 1:1-2:20.

O Nascimento de Isa Al-Masih
O nascimento de Jesus é um dos eventos mais milagrosos e importantes em nosso tempo. O nascimento de Jesus foi profetizado cerca de 700 anos antes de Sua chegada. “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz; para que se aumente o seu governo, e venha paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, para o estabelecer e o firmar mediante o juízo e a justiça, desde agora e para sempre. O zelo do SENHOR dos Exércitos fará isto.” Isaías 9:6-7.

O milagre em Seu nascimento foi que Ele nasceu de uma virgem, o que é acreditado por ambos cristãos e muçulmanos.Ver Alcorão 3:45-47; Mateus 1:18-25.

Isa Al-Masih não planejava vir à Terra com toda a Sua glória, mas sim, Sua vida, desde o nascimento até a morte foi expressa da maneira mais humilde. Não havia lugar para Maria e José exceto por um estábulo, um lugar onde os animais eram mantidos. Foi naquela noite em Belém, num estábulo, que Isa Al-Masih nasceu. Para mais informações sobre o nascimento do Messias, favor consultar O Desejado de Todas as Nações, capítulo 4..

Isa Al Masih (Jesus) foi profetizado como o Messias?
Isa Al Masih (Jesus) foi profetizado cerca de 1000 anos antes de Sua vinda. A Bíblia Sagrada contém uma lista de profecias sobre o Messias, conhecido como Jesus. O Alcorão também se refere à Jesus como o Messias. Aqui temos uma lista. Aqui temos uma lista, não muito extensa e cansativa, das profecias feitas sobre Jesus. of the prophecies made about Jesus.

1. Ele irá nascer de uma virgem (Ver Isaías 7:14; Mateus 1:22-23 e Alcorão 3:48))

2. Ele irá nascer em Belém (Ver Miquéias 5:2 e Mateus 2:1-6))

3. Ele seria o Maravilhoso Conselheiro, Poderoso Deus, Pai Eterno e Príncipe da Paz(Ver Isaías 9:6-7; João 8:58 e João 10:30).)

4. Ele realizaria sinais de cura (Ver Isaías 35:5-6; Mateus 11:46; Lucas 7:20-23 e Alcorão 3:49)

5. Ele seria precedido por João Batista (Ver Isaías 40:3-5; Mateus 3:1-3; Marcos 1:1-3; Lucas 1:76 e João 1:22-23)

6. Ele será um servo de Deus, exaltado, e não virá como um Rei, mas como um servo humilde que deseja servir (Ver Isaías 52:13-53:12; Mateus 20:28; Marcos 10:45 e João 12:37-38)

7. Ele será traído por 30 moedas de prata (Ver Zacarias 11:12-13 e Mateus 26:14-15)

8. Ele irá sofrer por nós, Ele será ferido pelos nossos pecados, Ele suportará os pecados de muitos e intercederá por nossos pecados, Ele assumirá o nosso sofrimento e acabará com as nossas iniquidades, Ele irá ao abate como uma ovelha, por Seus machucados seremos curados. Ele morrerá. (Ver Isaías 52:13-53:12; Daniel 9:26; Hebreus 2:9 e Marcos 14:24)

Qual Discípulo deu as costas a Isa?
Judas foi o discípulo que deu as costas a Jesus. Ele andou com Jesus, testemunhou Seus milagres e maravilhas. Infelizmente, a tentação do dinheiro foi maior que sua fé. Mateus 26:14-15: “Então, um dos doze, chamado Judas Iscariotes, indo ter com os principais sacerdotes, propôs: Que me quereis dar, e eu vô-lo entregarei? E pagaram-lhe trinta moedas de prata.”
Isto também era uma profecia da Torá::

Salmos 55:12-14: Com efeito, não é inimigo que me afronta; se o fosse, eu o suportaria; nem é o que me odeia quem se exalta contra mim, pois dele eu me esconderia; mas és tu, homem meu igual, meu companheiro e meu íntimo amigo. Juntos andávamos, juntos nos entretínhamos e íamos com a multidão à Casa de Deus.

A Singularidade de Isa Al-Masih
É claro, tanto da Bíblia quanto do Alcorão, que Isa Al-Masih é único. Deve haver algo realmente especial sobre Jesus para o Alcorão confirmar que Ele:

  • nasceu de uma virgem
  • foi o filho da mulher mais exaltada
  • era sem pecado
  • subiu aos céus para estar à mão direita de Deus
  • está por vir novamente
  • era o Messias
  • era a Palavra de Deus
  • possuía o Espírito de Deus

A razão foi dada pelo próprio Jesus. Ele não foi um homem comum nascido por uma procriação comum. Ele ensinou que já havia existido nos céus antes da criação do universo e até mesmo presenciou a queda de Satanás (Lc 10:18).

Ele ensinou que havia descido dos céus (Jo 6:62), que Ele veio do Pai para o mundo e que deixaria o mundo para retornar ao Seu Pai (Jo 16:28). É por isso que ele teve que nascer de uma mulher virgem. Ele veio antes da sua vida terrestre, e viera a este mundo dos céus e assumiu a forma humana. Ele teve, portanto, um início único para Sua vida, como também um final único. Ele veio dos céus e voltaria para lá. O próprio Jesus atraiu um contraste entre Si mesmo e todos os outros homens quando disse aos Judeus: “Vós sois cá de baixo, eu sou lá de cima; vós sois deste mundo, eu deste mundo não sou” (Jo 8:23).

Jesus é diferente e superior a todos os profetas que vieram antes dEle. De fato, Ele era maior que todos os outros homens. O Anjo Gabriel respondeu quando disse à Maria:
“Este será grande e será chamado Filho do Altíssimo... também o ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus” (Luke 1:32, 35).

Sim, todos os profetas tiveram características únicas, mas no caso de Jesus, vemos que Sua singularidade é somente dEle. Não há comparação com nenhum outro profeta. Todas essas características únicas, abrangendo a origem de Sua vida, sua conclusão e destino, tudo encontramos nEle. Essas características de Jesus, unanimemente, comprovam que Jesus é o Filho de Deus.

Para os nossos amigos muçulmanos, lhe pedimos para considerar seriamente o que o seu livro sagrado ensina sobre Jesus. E ainda mais, considerar as implicações. Se Jesus de fato é o Filho de Deus, apenas nEle o homem pode se reconciliar com Deus. Não há outro nome sob os céus pelo qual o homem pode ser salvo (At 4:12). As boas novas são: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3:16).

Para descobrir mais sobre esse Jesus, te encorajamos a dar o próximo passo e ler a Bíblia por si mesmo. Você pode querer começar lendo o Livro de João antes.

Há Apenas Um Deus
Acreditar em um Deus como trindade é um dos ensinamentos bíblicos mais exigentes. Cristianismo é a única religião no mundo que faz essa afirmação. A doutrina lida com quem Deus é, como Ele é, e como Ele trabalha. Os cristãos acreditam que a doutrina é necessária para se ter justiça do testemunho das Escrituras, a fonte principal do nosso conhecimento de Deus. Devemos discutir sobre Deus com os termos que Ele usa. As evidências bíblicas têm três facetas: (a) há apenas um Deus; (b) três em um e (c) três pessoas que são Deus.

O cristianismo veio do hebreus antigos, que eram monoteístas rígidos (e são até hoje). Escritores do Velho Testamento lidam com isso, usando a fala direta de Deus, algumas vezes. O Decálogo começa com a declaração divina: “Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim” (Êx 20:2,3). Deuteronômio 6:4 contém a declaração definitiva do monoteísmo, inicialmente imerso em um mundo politeísta: “Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR”.

O Novo Testamento continua com as posições do Velho Testamento, tais como Paulo (1 Cor. 8:4) e Tiago (Tg 2:19). O que então, fez com que esses Judeus e Cristãos monoteístas declarassem acreditar na trindade? Foi por causa das testemunhas bíblicas da Trindade.

Deus refere-se a si mesmo como “Ele” e “Nós”. No Velho Testamento o plural de um dos substantivos para Deus (’elohim) é quantitativo: “Façamos o homem à nossa imagem”. O plural aparece tanto com o verbo “Façamos” como também com o sufixo possessivo “Nossa” (Gn 1:26 e 11:7). Isaías, em sua visão, ouve o Senhor: “A quem enviarei, e quem há de ir por nós?” (Is 6:8).

Em Gênesis 2:24, o homem e a mulher devem se tornar um (’echad), uma união de duas entidades separadas. De forma significativa, a mesma palavra é usada por Deus em Deuteronômio 6:4. O casamento e a natureza de Deus são ambos descritos como uma união plural.

Três pessoas divinas estão constantemente interligadas (Isa. 42:1; 61:1, 2; 63:8-11). O anjo diz à Maria que seu filho será chamado santo porque o Espírito Santo viria sobre ela (Lc 1:35). No batismo de Jesus (Mt 3:16,17) três pessoas divinas estão presentes. Jesus conecta os seus milagres ao Espírito do poder de Deus (Mt 12:28). Por causa da Grande Comissão, novos discípulos são batizados no único “nome” de três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo (Mt 28:19).

Evidências comprovadas podem ser encontradas no evangelho de João. Jesus declara: O Filho é enviado pelo Pai (14:24), vindo dEle (16:28). O Espírito é dado pelo Pai (14:24), enviados do Pai (16:26) e procedem do Pai (15:26). O Filho ora pela vinda do Espírito (14:16); o Pai envia o Espírito em nome do Filho (14:26). O Filho envia o Espírito a partir do Pai (15:26). O ministério do Espírito procede com o do Filho, trazendo à memória o que o Filho disse (14:26), sendo testemunha do Filho (15:26). Declarando que Ele ouve do Filho, glorificando o Filho (16:13,14). Jesus ora para que Seus discípulos possam ser um, como Ele e o Seu Pai são Um (17:21).

Pedro nomeia três pessoas divinas no Pentecostes: “Exaltado, pois, à destra de Deus, tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto... e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo... e recebereis o dom do Espírito Santo” (At 2:33-38).

Paulo fala muito sobre a trindade divina, relacionando a salvação às três Pessoas da Trindade (2 Cor 1:21, 22). A forma um tanto quanto satisfeita sobre sua escrita, comunica sua crença no livro de Romanos: o julgamento de Deus sobre todos (1:18-3:20); a justificação pela fé em Cristo (3:21-8:1); o viver com o Espírito (8:2-30). Paulo também os inclui em suas bênçãos: “A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós” (2 Cor 13:14). Expressões similares formuladas também aparecem nas epístolas de Pedro e Judas (1 Pe 1:1, 2; Jd 20, 21).

A Doutrina do “Filho de Deus” no Tawrat
Muitos muçulmanos acreditam que o A doutrina do “Filho de Deus” é um credo inventado por cristãos em parceria com outros deuses para Deus Todo-Poderoso, e não tem origem no Tawrat. Pelo contrário, o A Torá prova essa doutrina, que está enraizada em seus versos sagrados. Aqui vamos apresente os versículos que provam e confirmam essa doutrina. Deve ser enfatizado aqui que essa filiação nunca é uma filiação física de forma alguma.No livro de Zubur e o segundo Salmos, lemos: “Agora, pois, sê sábio, ó reis; ser instruído, você juízes de a Terra. Sirva ao Senhor com medo e regozija-se com tremor. Beije o filho, para que Ele não fique zangado, e você pereça no caminho, quando Sua ira é acesa, mas um pouco. Bem-aventurados todos os que confiam nEle. ”(Salmo 2: 10-12).

Quem é esse Filho a quem a Palavra de Deus insta reis e juízes da terra e de seu povo a dar lealdade, honra e glória? Existe um ser humano digno de que todos os homens dependam dele? Certamente, nenhum ser humano merece assumir essa responsabilidade.

O Tawrat também declara: “Quem tem subiu ao céu ou desceu? Quem juntou o vento em seus punhos? Quem amarrou as águas em uma roupa? Quem estabeleceu todos os fins do terra? Qual é o nome dele e qual é o nome do filho, se você sabe? ”(Tawrat, Provérbios 30: 4). O Profeta Salomão escreveu sobre o Filho de Deus, que é a Palavra de Deus e a sabedoria de Deus, dizendo:

“O Senhor me possuía no começo do seu caminho, antes de suas obras antigas. Fui estabelecido desde a eternidade, desde o princípio, antes que houvesse uma terra. Quando não havia profundezas, fui criado, quando não havia fontes abundantes em água. Antes das montanhas serem assentadas, antes das colinas, eu fui criado; enquanto ainda não havia feito a terra ou os campos, nem o pó primordial do mundo. Quando Ele preparou os céus, eu estava lá, quando Ele desenhou um círculo na face das profundezas, quando Ele estabeleceu as nuvens acima, quando Ele fortaleceu as fontes das profundezas, quando Ele designou ao mar seu limite, de modo que o as águas não transgrediriam Sua ordem, quando Ele assinalou os fundamentos da terra, então eu estava ao Seu lado como um mestre artesão; e eu diariamente sentia Sua alegria, regozijando-me sempre diante dele, regozijando-se em Seu mundo habitado, e minha alegria era com os filhos dos homens ”(Tawrat, Provérbios 8: 22-31).

O Tawrat nos conta no livro de Isaías, o Profeta, sobre a identidade do Filho de Deus vivo que dissipa qualquer dúvida sobre Ele: “Portanto, o próprio Senhor lhe dará um sinal: Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e chamará seu nome Emanuel (Deus conosco) ”(O Tawrat, Isaías 7:14).

O profeta Isaías declara pelo Divino inspiração, dizendo: “Porque para nós nasce uma criança, para nós é dado um filho; e o governo estará sobre Seu ombro. E o nome dele será chamado Maravilhoso, Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz. Do aumento de Seu governo e paz não terão fim, no trono de Davi e sobre Seu reino, ordená-lo e estabelecê-lo com julgamento e justiça de esse tempo adiante, mesmo para sempre. O zelo do Senhor dos exércitos cumprirá isso ”(Isaías 9: 6-7).

Quem é o filho que merece tudo isso lealdade e honra, como ele tem o direito de ser chamado de Deus poderoso e eterno Pai? Isa Al-Masih (Sua paz esteja conosco) A Palavra de Deus: “O Messias, Jesus, o filho de Maria, é o Mensageiro de Deus e Sua Palavra que Ele transmitiu a Maria, e um espírito dele ”(Al-Nisa 4: 171), que desceu do céu nascido de uma virgem e não criada como uma exceção de todos os seres humanos.

O centro do Tawrat é o nosso mestre Isa Al-Masih (que a paz esteja conosco). O Tawrat contém mais de 300 profecias sobre Al-Masih. No Tawrat, você encontrará detalhes precisos sobre cada aspecto de Seu nascimento, Sua vida, Seu serviço, Suas maravilhas (milagres), o Judeus recusando-O, Seu julgamento, seu abuso nas mãos dos soldados romanos, Seu crucificação, Sua morte, Seu enterro, A duração de Sua permanência na sepultura, Sua gloriosa ressurreição e Sua ascensão ao céu. Todas essas profecias foram concluída com precisão. Aqui vou mencionar uma dessas profecias:

“Quem acreditou em nosso relatório? E para a quem o braço do Senhor foi revelado? Pois Ele crescerá diante dEle como uma planta tenra e como raiz do solo seco. Ele não tem forma ou beleza; e quando o vemos, não há beleza que devamos desejar. Ele é desprezado e rejeitado pelos homens, um homem de dores e familiarizado com a dor. E escondemos nossos rostos dele; Ele foi desprezado e nós não estimamos Ele. Certamente Ele suportou nossas dores e carregou nossas tristezas; ainda estimamos Ele foi atingido, ferido por Deus e afligido. Mas Ele foi ferido por nossa transgressões, Ele foi ferido por nossas iniqüidades; o castigo para o nosso a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras somos curados. Todos nós gostamos de ovelhas extraviou; todos nos voltamos para o seu próprio caminho; e o Senhor colocou nele a iniqüidade de todos nós. Ele foi oprimido e afligido, mas Ele não abriu a boca; Ele foi levado como cordeiro ao matadouro e como ovelha antes que seus tosquiadores se calem, ele não abriu a boca. Ele foi tirado da prisão e do julgamento, e quem declarará Sua geração? Pois Ele foi separado de a terra dos vivos; pelas transgressões do meu povo, ele foi atingido. E fizeram a sua sepultura com os ímpios - mas com os ricos na sua morte, porque Ele não havia cometido violência, nem havia engano em sua boca. No entanto, agradou a Senhor para machucá-Lo; Ele o colocou em sofrimento. Quando você faz de Sua alma uma oferta pelo pecado, Ele verá Sua semente, Ele prolongará Seus dias, e o prazer de o Senhor prosperará em suas mãos. Ele verá o trabalho de Sua alma e será satisfeito. Pelo seu conhecimento, meu servo justo justificará muitos, pois devem portar suas iniqüidades. Portanto, dividirei a parte dele com o grande, e ele dividirá o despojo com o forte, porque derramou Seu alma até a morte, e Ele foi contado com os transgressores, e pecado de muitos, e fez intercessão pelos transgressores ”(Tawrat, Isaías 53: 1-12).

Então, depois de tudo isso, você ainda duvida essa doutrina gloriosa?

Categorias: Following

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Português do Brasil
English العربية Español فارسی Português do Brasil