O Injil como um sinal de Deus no Alcorão

Quando lemos o Alcorão, vemos referências explicitas e diretas do Injil. Mas o Alcorão utiliza um padrão específico, quando menciona o Injil. Abaixo seguem todos os versos mencionados no Alcorão sobre a Bíblia.

“Ele te revelou (ó Mohammad) o Livro (paulatinamente) com a verdade corroborante dos anteriores, assim como havia revelado a Torá e Evangelho, Anteriormente, para servir de orientação aos humanos, e relevou ainda o Discernimento. Aqueles que negarem os versículos de Deus, sofrerão um severo castigo, e Deus é Punidor, Poderosíssimo." (Áal 'Imran 3: 3-4).

“E Ele lhe ensinará o Livro da Sabedoria e o Torá e o Evangelho” (Áal 'Imran 3:49).

“Ó adeptos do Livro, por que discutis acerca de Abraão, se a Torá e o Evangelho não foram revelados senão depois dele? Não raciocinais"(Áal 'Imran 3:66).

“E depois deles (profetas), enviamos Jesus, filho de Maria, corroborando a Tora que o precedeu; e lhe concedemos o Evangelho, que encerra orientação e luz, corroborante do que foi revelado na Tora e exortação para os tementes." (Al Máida 5:46)

"E se tivessem sido observantes da Torá, do Evangelho e de tudo quanto lhes foi revelado por seu Senhor, alimentar-se-iam com o que está acima deles e do que se encontra sob seus pés. Entre eles, há alguns moderados; porém, quão péssimo é o que faz a maioria deles!” (Al Máida 5:66).

"Dize: Ó adeptos do Livro, em nada vos fundamentareis, enquanto não observardes os ensinamentos da Torá, do Evangelho e do que foi revelado por vosso Senhor! Porém, o que te foi revelado por teu Senhor, exacerbará a transgressão e a incredulidade de muitos deles. Que não te penalizem os incrédulos." (Al Máida 5:68)

"...recordar-te quando te ensinei o Livro, a sabedoria, a Torá e o Evangelho..." (Al Máida 5:110).

“…É uma promessa infalível, que está registrada na Torá, no Evangelho e no Alcorão." (Al Taubah 9:111).

"Tal é o seu exemplo na tora e no Evangelho, como a semente que brota, se desenvolve e se robustece, e se firma em seus talos, compraz aos semeadores, para irritar os incrédulos..." (Al Fath 48:29).

Encontramos um padrão em todos os versos que se referem a Bíblia no Alcorão é que o ‘Injil’ não é mencionado sozinho, mas é precedido pela menção da Torá. E há apenas uma exceção para esse padrão.

"Então, após eles, enviamos outros mensageiros Nossos e, após estes, enviamos Jesus, filho de Maria, a quem concedemos o Evangelho; e infundimos nos corações daqueles que o seguem compaixão e clemência..." (Al Hadid 57:27).

No entanto, o padrão continua o mesmo, pois a resposta sobre onde esses profetas foram mencionados se encontra na Torá.

A pergunta que surge é: Por que esse estilo do Alcorão é mencionando a Torá e o Injil? Será que há algo importante em que o Alcorão quer nos levar a considerar? Sim, há algo importante, como se o Alcorão estivesse nos dizendo que não podemos entender o Injil sem estudar a Torá, ao mesmo tempo. A Torá não pode ser entendida sem saber a perspectiva completa do Injil. Na verdade, a mensagem da Torá e do Injil são uma. A Torá e o Injil são um sinal de Deus para nos guiar pelo caminho certo.

Isa Al-Masih (que a Sua paz esteja conosco) disse: “Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim.” (Injil, João 5:39). Ele nos encoraja (que a Sua paz esteja conosco) a buscar a Torá, pois a Torá testifica Ele, e Ele salienta sobre quando disse: “A seguir, Jesus lhes disse: São estas as palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos.” (Injil, Lucas 24:44). Eu digo a vocês: “Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra” (Injil, Mateus 5:17-18).

O Injil ensina que “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra” (Injil, 2 Timóteo 3:16-17). “Temos, assim, tanto mais confirmada a palavra profética, e fazeis bem em atendê-la, como a uma candeia que brilha em lugar tenebroso, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça em vosso coração, sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação; porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo” (Injil, 2 Pedro 1:19-21). Isso não deixa dúvidas de que a Torá e o Injil são o Thikr (Lembrete), o Furkan, Al-Lawh Al-Mahfoz (Livro Preservado) e a (Kalimatu Allah) Palavra de Deus em cada alteração, distorção e mudança, pois são um dos sinais de Deus.

Leia Mais
A história de Fátima
Português do Brasil