O Alcorão não disse que o Injil Sagrado era corrompido. Os cristãos não foram acusados de distorção do Injil deles, e muito menos os textos do Alcorão nos quais os críticos se baseiam para discussão pela corrupção do Injil dizem respeito a isso. Nós iremos discutir alguns desses textos:

1 – “Esperais que eles vos acreditem quando uma parte deles ouve a palavra de Allah e então a pervertem depois de a ter compreendido, o sabendo as consequências disso” (Al-Baqarah 2:76).

2 – “Há entre os Judeus alguns que pervertem palavras dos seus corretos lugares. E eles dizem, ‘Nós ouvimos e nós desobedecemos’ e ouves tu sem ser ouvido’, e ‘Raina, *encobrindo com a língua o que no seu pensamento e procurando lesar a Fé. E se eles tivessem dito ‘Nós ouvimos e nós obedecemos’ e ‘ouves tu’, e ‘Unzurna’, teria sido melhor para eles e mais reto. Mas Allah amaldiçoou-os pela sua descrença; de modo que eles apenas pouco creem” (Al-Nisa 4:47).

3 – “E na verdade Allah aceitou um pacto da parte dos filhos de Israel... Se vós observardes a Oração, e pagardes o Zarat, e crerdes nos Meus Mensageiros e os apoiardes, e fizerdes a Allah um valioso empréstimo, Eu de vos removerei os vossos pecados e vos admitirei em jardins por baixo dos quais correm rios. Mas quem quer que de entre vós depois disso descreia, na verdade se afasta para longe do verdadeiro caminho” (Al-Maida 5:13).

4 – “Oh Mensageiro, não deixes que te aflijam os que precipitadamente caem em descrença – os que dizem com a boca. ‘Nós cremos’, mas os seus corações não creem. E entre os Judeus também há os que afetuosamente escutariam mentiras, que escutam para comunicar a outro Povo que a ti não veio. Eles pervertem palavras depois de elas serem postas nos seus devidos lugares; e dizem, ‘Se vos for dado isto, então aceitai-o, mas se vos não for dado isto, então acautelai-vos!’ E quanto aquele a quem Allah deseja experimentar, tu não lhe facilitaras coisa alguma contra Allah. Soa estes cujo coração a Allah tem aprazido purificar; eles terão ignomia neste mundo, e no Futuro terão um severo castigo.” (Al-Maida 5:41).

Aqui temos alguns comentários sobre esses versos:

Esses textos são direcionados aos Judeus. Portanto, o Alcorão diz: “e de entre os Judeus’, então não há menção dos cristãos ou da Bíblia.

Fakhr al-Din al-Razi diz em seu comentário em Al-Maida 5:14, “A intenção da corrupção é de emitir uma falsa semelhança, interpretações corruptas e afastar a palavra de seu real significado para um significado falso ao usar truques verbais, como as pessoas inovadoras atuais que mudam os versos que não se encaixam com as suas crenças – essa é a explicação da corrupção”.

Al-Baydawi disse numa explicação em (al-Ma’ida 5:42), “Eles foram enviados (de Zinya) de um grupo para Bani Qurethah, para pedir ao Mensageiro de Allah e Ibn Suria os julgou. Então, ele o disse, ‘Lhe peço pelo nome de Allah... que entregou esse livro a você com seus ensinamentos do que é legal e ilegal, você consegue encontrar o apedrejamento dos imunes?’ Ele disse ‘Sim’, seja um mentiroso que trará a tormenta’. Portanto, o Mensageiro de Allah mandou que os adulterosos fossem apedrejados à porta da mesquita”.

Al-Tabari disse em seu comentário (Al-Nissa 4:45), “Os Judeus insultaram Muhammad com palavras horríveis e lhe disseram, ‘Ouça de nós a surdez’ como alguém dizendo à um homem, ‘Que Deus não lhe deixe ouvir’. A palavra Rai’na foi interpretada pela atribuição de Ibn Wahab como aquilo que não se deve dizer”.

Yusuf Durra Al-Haddad comenta sobre esses textos:

1- “Vemos primeiro que não há nenhuma menção dos cristãos e do Evangelho. Desafiamos qualquer um a provar no Alcorão que há finalidades aos cristãos e seu Evangelho. Como eles acusam o Alcorão ao acusar que os cristãos distorceram a Bíblia? Ou como eles chamam a Bíblia de corrompida?

2 – “Em todos os lugares, o Alcorão se referiu à um grupo de Judeus e foi mencionado que o outro grupo não os aprovava em sua obra; pois não há espaço para a corrupção.

3 – “Aqueles a quem concedemos o Livro recitam-no como ele deve ser recitado. São os que acreditam nele; porém, aqueles que o negarem serão desventurados. (Al-Baqarah 2:121). Não há medo da corrupção no texto e nem de sua interpretação correta.

4 – “Não lidam com livro inteiro, e nem todo o Torá, ou todas os regulamentos, mas o significado de apedrejamento no Torá, e alguns comentaristas adicionam o atributo à Muhammad, ‘o Profeta Analfabeto, a quem encontraram no Torá e no Evangelho que tinham’ (Al-Aaraf 7:157). Toda a ideia é apenas sobre um ou dois versos do Torá”.

A pergunta que aparece é como o Alcorão comprova um livro distorcido:

1 – “Ele enviou-te o Livro contendo a verdade e confirmando o que o precede; e Ele enviou o Tora e o Evangelho antes disso, como guia para o povo; e Ele enviou a Incontrolável Verdade” (Al-Imran 3:4).

2 – “E Nós fizemos com que Jesus, filho de Maria, seguisse nas suas pisadas, cumprindo o que antes dele foi revelado na Tora; e Nós demos-lhes o Evangelho que continha guia e luz, cumprindo o que antes deles foi revelado na Tora, e uma guia e uma admoestação para os tementes a Deus” (Al-Maida 5:47).

3 – “E que o povo do Evangelho julgue de acordo com o que Allah nele revelou, e quem quer que não julgue pelo que Allah revelou, esses é que são os rebeldes” (Al-Maida 5:48).

4 – “E se eles tivessem observado o Tora e o Evangelho e o que agora lhes têm sido enviado da parte do seu Senhor, eles por certo teriam comido das coisas boas por cima deles e de por baixo dos seus pés. Entre eles está um povo que é moderado; mas inúmeros dentre eles são – mal feitous” (Al-Maida 5:67).

5 – “Dize, Oh povo do Livro, vós em nada vos baseareis enquanto não observardes a Tora e o Evangelho e o que vos têm sido enviado a parte do vosso Senhor...” (Al-Maida 5:69).

Categorias: Studies

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Português do Brasil
English العربية Español فارسی Français Português do Brasil