“Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem. Pois, pela fé, os antigos obtiveram bom testemunho. Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem” (Hb 11:1-3).

Como nos Tornamos Mais Como Isa, ou seja, Como Desenvolvemos o Mesmo Caráter?
Em Mateus 5:3-11, Jesus prega o Sermão do Monte. Os Seus ensinamentos substituem e transcendem alguns aspectos da lei de Moisés, e Seus ensinamentos nos desafiam a cada dia em nossas atividades e pensamentos. Todos nós devemos ser perfeitos como Allah e Jesus são. Jesus diz:
“Deus abençoa aqueles que são pobres e percebe sua necessidade para ele, [a] o Reino dos Céus é deles.
Deus abençoa aqueles que choram
porque eles serão consolados.
Deus abençoa aqueles que são humildes
porque eles herdarão toda a terra.
Deus abençoa aqueles que têm fome e sede de justiça, [b] porque eles ficarão satisfeitos.
Deus abençoa aqueles que são misericordiosos,
porque eles serão mostrados misericórdia.
Deus abençoa aqueles cujos corações são puros
porque eles verão a Deus.
Deus abençoa aqueles que trabalham pela paz
porque eles serão chamados filhos de Deus.
Deus abençoa aqueles que são perseguidos por fazer o que é certo
porque o Reino dos Céus é deles.

“Deus te abençoa quando as pessoas zombam de você, perseguem você e mentem sobre você e dizem todo tipo de coisas ruins contra você porque são meus seguidores.
“Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem. Pois, pela fé, os antigos obtiveram bom testemunho. Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem. Pela fé, Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim; pelo qual obteve testemunho de ser justo, tendo a aprovação de Deus quanto às suas ofertas. Por meio dela, também mesmo depois de morto, ainda fala. Pela fé, Enoque foi trasladado para não ver a morte; não foi achado, porque Deus o trasladara. Pois, antes da sua trasladação, obteve testemunho de haver agradado a Deus. De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam. Pela fé, Noé, divinamente instruído acerca de acontecimentos que ainda não se viam e sendo temente a Deus, aparelhou uma arca para a salvação de sua casa; pela qual condenou o mundo e se tornou herdeiro da justiça que vem da fé. Pela fé, Abraão, quando chamado, obedeceu, a fim de ir para um lugar que devia receber por herança; e partiu sem saber aonde ia. Pela fé, peregrinou na terra da promessa como em terra alheia, habitando em tendas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa; porque aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador. Pela fé, também, a própria Sara recebeu poder para ser mãe, não obstante o avançado de sua idade, pois teve por fiel aquele que lhe havia feito a promessa. Por isso, também de um, aliás já amortecido, saiu uma posteridade tão numerosa como as estrelas do céu e inumerável como a areia que está na praia do mar. Todos estes morreram na fé, sem ter obtido as promessas; vendo-as, porém, de longe, e saudando-as, e confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra. Porque os que falam desse modo manifestam estar procurando uma pátria. E, se, na verdade, se lembrassem daquela de onde saíram, teriam oportunidade de voltar. Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade. Pela fé, Abraão, quando posto à prova, ofereceu Isaque; estava mesmo para sacrificar o seu unigênito aquele que acolheu alegremente as promessas, a quem se tinha dito: Em Isaque será chamada a tua descendência; porque considerou que Deus era poderoso até para ressuscitá-lo dentre os mortos, de onde também, figuradamente, o recobrou. Pela fé, igualmente Isaque abençoou a Jacó e a Esaú, acerca de coisas que ainda estavam para vir. Pela fé, Jacó, quando estava para morrer, abençoou cada um dos filhos de José e, apoiado sobre a extremidade do seu bordão, adorou. Pela fé, José, próximo do seu fim, fez menção do êxodo dos filhos de Israel, bem como deu ordens quanto aos seus próprios ossos. Pela fé, Moisés, apenas nascido, foi ocultado por seus pais, durante três meses, porque viram que a criança era formosa; também não ficaram amedrontados pelo decreto do rei. Pela fé, Moisés, quando já homem feito, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, preferindo ser maltratado junto com o povo de Deus a usufruir prazeres transitórios do pecado; porquanto considerou o opróbrio de Cristo por maiores riquezas do que os tesouros do Egito, porque contemplava o galardão. Pela fé, ele abandonou o Egito, não ficando amedrontado com a cólera do rei; antes, permaneceu firme como quem vê aquele que é invisível. Pela fé, celebrou a Páscoa e o derramamento do sangue, para que o exterminador não tocasse nos primogênitos dos israelitas. Pela fé, atravessaram o mar Vermelho como por terra seca; tentando-o os egípcios, foram tragados de todo. Pela fé, ruíram as muralhas de Jericó, depois de rodeadas por sete dias. Pela fé, Raabe, a meretriz, não foi destruída com os desobedientes, porque acolheu com paz aos espias. E que mais direi? Certamente, me faltará o tempo necessário para referir o que há a respeito de Gideão, de Baraque, de Sansão, de Jefté, de Davi, de Samuel e dos profetas, os quais, por meio da fé, subjugaram reinos, praticaram a justiça, obtiveram promessas, fecharam a boca de leões, extinguiram a violência do fogo, escaparam ao fio da espada, da fraqueza tiraram força, fizeram-se poderosos em guerra, puseram em fuga exércitos de estrangeiros. Mulheres receberam, pela ressurreição, os seus mortos. Alguns foram torturados, não aceitando seu resgate, para obterem superior ressurreição; outros, por sua vez, passaram pela prova de escárnios e açoites, sim, até de algemas e prisões. Foram apedrejados, provados, serrados pelo meio, mortos a fio de espada; andaram peregrinos, vestidos de peles de ovelhas e de cabras, necessitados, afligidos, maltratados (homens dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, pelos montes, pelas covas, pelos antros da terra. Ora, todos estes que obtiveram bom testemunho por sua fé não obtiveram, contudo, a concretização da promessa, por haver Deus provido coisa superior a nosso respeito, para que eles, sem nós, não fossem aperfeiçoados” (Hb 11:1-40).
O que é fé
Fé é confiar em Deus, acreditar que Ele nos ama e sabe o que é melhor para nós. Por isso, Ele nos leva a escolher o Seu caminho, ao invés do nosso. No lugar de nossa ignorância, é aceita Sua sabedoria; no lugar de nossas fraquezas, Sua força; no lugar dos nossos pecados, Sua justiça. As nossas vidas já são dEle; a fé reconhece Sua propriedade e aceita Suas bênçãos. Verdade, integridade e pureza têm sido indicadas como os segredos para o sucesso na vida. É a fé que nos coloca sob a pose desses princípios.

Cada bom impulse e aspiração é presente de Deus; a fé recebe de Deus a vida, que por si só, pode produzir verdadeiro crescimento e eficiência.

Como exercer fé deveria ser algo bem simples. Para cada promessa de Deus, há condições. Se estamos dispostos a fazer a Sua vontade, toda a Sua força será nossa. Qualquer que seja o presente que Ele prometeu, sempre estará na própria promessa. “… a semente é a palavra de Deus” (Lc 8: 11). Tão certo quanto o carvalho se encontra na semente, também é o presente de Deus em Sua promessa. Se recebermos a Sua promessa, teremos o presente.

A fé que nos permite receber os presentes de Deus já é um presente, de onde certas medidas são transmitidas para cada ser humano. Ela cresce ao exercermos a apropriação da palavra de Deus. Para fortalecer a fé, devemos sempre estar em contato com a Palavra.

A fé é necessária tanto nas pequenas coisas como nas grandes. Em todos os nossos interesses e ocupações diárias, a força mantenedora de Deus se torna real para nós através de uma confiança duradoura.

(Para mais, veja Educação, capítulo 30)

Categorias: Teachings

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Português do Brasil
English العربية Español فارسی Português do Brasil