Sonho do profeta José

Este é o exemplo mais comum que encontramos tanto na Bíblia quanto no Alcorão. O capítulo 37 do livro de Gênesis da Taurat, conta a história de José. Essa história também é encontrada no Alcorão no capítulo 12, quando José recebe um sonho de Allah.

“Quando José disse a seu pai: “Ó meu pai, eu vi onze planetas, o sol e a lua; Eu os vi se curvando para mim.” – Yusuf, 12:4.

“Contando-o a seu pai e a seus irmãos, repreendeu-o o pai e lhe disse: Que sonho é esse que tiveste? Acaso, viremos, eu e tua mãe e teus irmãos, a inclinar-nos perante ti em terra? Seus irmãos lhe tinham ciúmes; o pai, no entanto, considerava o caso consigo mesmo. ” - Taurat, Gênesis 37:10-11.

Os irmãos de José tinham inveja e ciúmes dele, e os sonhos que ele teve, aumentaram ainda mais a raiva deles. Então eles fizeram um plano contra ele e o venderam para ser escravo no Egito. Allah sabia de tudo e já tinha um plano para José e sua família e o sonho que recebeu foi na verdade uma revelação do que iria acontecer.
No Egito, José serviu na casa de um homem poderoso e influente, e por causa de sua esposa , que acusou José de tentar seduzi-la, ele mandou José para a prisão, mas Deus tinha um plano para tudo. (veja Taurat, Gênesis 39).

Na prisão, José interpretou sonhos de dois prisioneiros, pelo poder de Alá que estava com ele. E aconteceu com eles, como José havia dito. “No terceiro dia, que era aniversário de nascimento de Faraó, deu este um banquete a todos os seus servos; e, no meio destes, reabilitou o copeiro-chefe e condenou o padeiro-chefe. Ao copeiro-chefe reintegrou no seu cargo, no qual dava o copo na mão de Faraó; mas ao padeiro-chefe enforcou, como José havia interpretado. O copeiro-chefe, todavia, não se lembrou de José, porém dele se esqueceu.” – Taurat, Gênesis 40:20-23.

Depois de algum tempo, Faraó, o rei do Egito, teve sonhos e não havia ninguém que pudesse interpretá-los. Então, finalmente, o copeiro lembrou-se de José, que adorava o Deus Criador, o verdadeiro Deus e José foi então chamado à presença do rei e depois de orar e pedir sabedoria de Allah, ele deu a interpretação ao rei: “Então, lhe respondeu José: O sonho de Faraó é apenas um; Deus manifestou a Faraó o que há de fazer. As sete vacas boas serão sete anos; as sete espigas boas, também sete anos; o sonho é um só. As sete vacas magras e feias, que subiam após as primeiras, serão sete anos, bem como as sete espigas mirradas e crestadas do vento oriental serão sete anos de fome. Esta é a palavra, como acabo de dizer a Faraó, que Deus manifestou a Faraó que ele há de fazer.” - Taurat, Gênesis 41:25-28.

Dito isso, José sugeriu ao rei que escolhesse alguém capaz de administrar as provisões para os sete anos de fome: “‘E a duplicação do sonho de Faraó significa que a coisa está fixada por Deus, e Deus em breve o fará. Agora, pois, que Faraó escolha um homem prudente e sábio, e o ponha sobre a terra do Egito”. -Taurat, Gênesis 41:32-33. O rei colocou José em uma posição de líder e ele poderia fazer provisão para os próximos anos de fome. Ele ainda não sabia, mas essa provisão salvaria milhares de vidas na terra do Egito e sua família, seu pai e seus irmãos que o venderam como escravo, a quem ele teve a oportunidade de rever, e eles se reconciliaram.

Vemos claramente que nesta história, nas três vezes em que os sonhos de Allah foram enviados, primeiro para José, depois para os prisioneiros e depois para o rei, as mensagens dos sonhos se tornaram realidade. E aqueles que acreditaram foram abençoados.

Leia Mais
A Singularidade da Bíblia
Português do Brasil