Profeta Daniel e o Segundo Sonho de Nabucodonosor

O profeta Daniel é um dos profetas de Allah. Ele não é mencionado no Alcorão, mas podemos ler sobre ele no Hadith e na tradição islâmica. Podemos encontrar Sua história completa na Tawrat.

Nabucodonosor teve mais um sonho, que Daniel também interpretou. Muitos anos haviam se passado desde o primeiro sonho, quando ele ainda se afirmava como rei. Este segundo sonho ocorreu quando seus grandes projetos já haviam sido realizados e seu poder estava no auge. A Babilônia era o império mais poderoso da Terra, mas nenhum poder pode se comparar ao poder e autoridade de Allah.

Então, este foi o sonho do rei: “Eram assim as visões da minha cabeça quando eu estava no meu leito: eu estava olhando e vi uma árvore no meio da terra, cuja altura era grande; crescia a árvore e se tornava forte, de maneira que a sua altura chegava até ao céu; e era vista até aos confins da terra. A sua folhagem era formosa, e o seu fruto, abundante, e havia nela sustento para todos; debaixo dela os animais do campo achavam sombra, e as aves do céu faziam morada nos seus ramos, e todos os seres viventes se mantinham dela.” – Daniel 4:10-12. Esta grande e bela árvore do sonho seria cortada com a ordem de um ser celestial e seus frutos seriam espalhados, os pássaros e animais que se abrigavam nela seriam afugentados e seu tronco e raízes deixados na terra amarrados com ferro e correntes de bronze: “No meu sonho, quando eu estava no meu leito, vi um vigilante, um santo, que descia do céu, clamando fortemente e dizendo: Derribai a árvore, cortai-lhe os ramos, derriçai-lhe as folhas, espalhai o seu fruto; afugentem-se os animais de debaixo dela e as aves, dos seus ramos. Mas a cepa, com as raízes, deixai na terra, atada com cadeias de ferro e de bronze, na erva do campo. Seja ela molhada do orvalho do céu, e a sua porção seja, com os animais, a erva da terra.”. – Daniel 4:13-15.

O rei, reconhecendo que a bênção de Allah estava sobre Daniel, pediu-lhe novamente que interpretasse o sonho. E o profeta, agora mais experiente, recebeu a revelação do sonho, que o chocou, mas contou tudo ao rei: “A árvore que viste, […]és tu, ó rei, que cresceste e vieste a ser forte; a tua grandeza cresceu e chega até ao céu, e o teu domínio, até à extremidade da terra. Quanto ao que viu o rei, um vigilante, um santo, que descia do céu e que dizia: Cortai a árvore e destruí-a, mas a cepa com as raízes deixai na terra, atada com cadeias de ferro e de bronze, na erva do campo; seja ela molhada do orvalho do céu, e a sua porção seja com os animais do campo, até que passem sobre ela sete tempos, esta é a interpretação, ó rei, e este é o decreto do Altíssimo, que virá contra o rei, meu senhor: serás expulso de entre os homens, e a tua morada será com os animais do campo, e dar-te-ão a comer ervas como aos bois, e serás molhado do orvalho do céu; e passar-se-ão sete tempos por cima de ti, até que conheças que o Altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens e o dá a quem quer. Quanto ao que foi dito, que se deixasse a cepa da árvore com as suas raízes, o teu reino tornará a ser teu, depois que tiveres conhecido que o céu domina. Portanto, ó rei, aceita o meu conselho e põe termo, pela justiça, em teus pecados e em tuas iniquidades, usando de misericórdia para com os pobres; e talvez se prolongue a tua tranquilidade.” – Daniel 4:20-27.

Por causa de sua arrogância, Nabucodonosor seria expulso do meio dos homens e faria sua morada com os animais do campo, ele comeria com os bois da erva da terra, até que se passassem sete tempos (sete anos), e ele reconhecesse que Allah tem domínio sobre o reino dos homens e o dá a quem Ele quiser. Durante esse período, o reino seria preservado e o rei poderia recuperá-lo se mudasse de coração. O profeta Daniel aconselhou-o a arrepender-se humildemente de seus pecados para que talvez Allah tivesse misericórdia dele e prolongasse sua prosperidade (versículo 27).

Doze meses depois, porém, enquanto caminhava pelo palácio se gabando da grande Babilônia que havia construído, Allah executou a sentença anunciada no sonho, e Nabucodonosor começou a se comportar como um animal selvagem. Depois de sete anos, ele voltou ao seu entendimento e foi restabelecido no reino da Babilônia, como Daniel havia dito, e reconheceu o poder e autoridade de Allah como governante do universo (versículos 36-37).

  1. A importância de adorar a Allah, e não ídolos.
  2. Allah está no controle e a importância da submissão à Sua vontade.
  3. Allah fala conosco através de sonhos.
Leia Mais
Títulos da Bíblia no Alcorão
Português do Brasil